17 de out de 2010

Tropeços dos líderes embolam a briga pelo G3


Se, de um lado, a rodada do Brasileirão não foi boa para os líderes, por outro, fez a festa dos que vinham no segundo pelotão da competição. Nenhum dos cinco primeiros colocados venceu nesta 30ª rodada.

No Olímpico, Montillo chegou a abrir o placar para o Cruzeiro, mas a equipe celeste permitiu a virada do Grêmio. Com o resultado, os mineiros ainda mantêm a liderança, graças aos empates de Fluminense e Corinthians.

Ao Tricolor das Laranjeiras faltou vontade de vencer num "clássico" com passes errados 'de mais' e criatividade 'de menos' no 0 a 0 contra o Botafogo no Engenhão. As aspas foram propositais, já que as atuações nem de longe lembraram as de jogadores de um Botafogo e de um Fluminense de outrora.

O outro 0 a 0 da rodada se deu no Brinco de Ouro, onde o Corinthians amargou mais um resultado negativo após a manifestação de torcedores contra a má fase enfrentada pelo time. Sobrou até para Ronaldo, diga-se de passagem, que foi cobrado por não entrar em campo. Após o empate sem gols, parece que a cobrança continua...

Se faltaram gols no Engenhão, no Morumbi a galera comemorou com sobras, mas quem fez a festa no fim da partida foi a torcida são-paulina, com a vitória por 4 a 3 do Tricolor Paulista sobre o Santos. Com o resultado, o São Paulo entrou de vez na briga pela Libertadores.

Na mesma luta estão Grêmio e Atlético-PR, que venceram seus jogos - pelo mesmo placar, inclusive (o Furacão venceu o Goiás por 2 a 1 na Arena da Baixada). Os gaúchos dão sequência à grande reação que vêm tendo no campeonato com a "Era Renato Gaúcho". Os paranaenses, embora ainda sem um padrão de jogo com o técnico Sérgio Soares, vêm conseguindo os resultados.

Já o Vasco não decide se briga ou não pela Libertadores, e parece ter decidido terminar o ano com uma garantia de vaga na Sul-Americana. No entanto, nem essa está assegurada depois da derrota por 2 a 0 para o Atlético-GO, que vive nova fase sob o comando de Renê Simões - o clube deixou a zona de rebaixamento após 26 rodadas.

Quem não sai de lá é o Atlético-MG de Dorival Júnior, que bateu o Avaí também por 2 a 0 e garantiu mais três pontos importantes na fuga do descenso, bem como o time de Antônio Lopes, o Vitória, que venceu - com o perdão do trocadilho - o Grêmio Prudente, candidatíssimo à Série B de 2011 - pelo mesmo placar.

Tendo falado do Galo, falamos de Flamengo. Pois não é que a troca de técnicos foi benéfica para ambos? Dorival Júnior resgatou a vontade de vencer dos mineiros, enquanto Vanderlei Luxemburgo, desde que chegou, vem sustentando um bom ambiente na Gávea, mesmo com toda a confusão criada com a saída de Zico. Até Val Baiano desandou a marcar!

A aparente boa fase do Rubro-Negro Carioca teve sequência graças à vitória por 3 a 0 sobre um apático Internacional, que parece estar numa incessante ressaca pós-Libertadores - e pré-Mundial, por que não dizer? Mesmo com o retorno de muitos titulares - D'Alessandro, Tinga, Giuliano e Alecsandro, os gaúchos praticamente não entraram em campo no Engenhão.

Por fim, um empate meio sem sal entre Palmeiras e Ceará - que, no entanto, certamente teve algo de mais produtivo que o clássico carioca - deixou o Alviverde em situação confortável, mas o Vozão segue ameaçado de rebaixamento. A equipe de Dimas Filgueiras não consegue manter uma série de resultados positivos, mas os comandados de Felipão vêm mostrando que o técnico conseguiu dar uma cara ao time.

Assim, a rodada embolou a briga pelo título e também pela Libertadores. Agora, podemos colocar até o São Paulo na briga pelos postos mais altos na tabela. O Vasco é o indeciso da competição e, dali para baixo, vale a fuga da Série B. As exceções a tais regras são raras em ambos os pelotões da competição. A oito rodadas do fim, quem arrisca um palpite?

Nenhum comentário:

Postar um comentário